Tema Livre

TRABALHOS APROVADOS > RESUMO

RESPOSTA AUTONÔMICA DA FREQUÊNCIA CARDÍACA APÓS TESTE DE ESFORÇO MÁXIMO EM DIFERENTES VALORES DE PRESSÃO ARTERIAL

Oliveira, L.S., Fontes, A.M.G.G., Akimoto, A.N., Vanderlei, F.M., Valenti,V.E.
UNESP - Faculdade de Ciências e Tecnologia - Presidente Prudente - SP - Brasil, UNESP - Faculdade de Filosofia e Ciências - Marília - SP - Brasil

Introdução: A investigação da pressão arterial (PA) na recuperação após exercício fornece informações relevantes do controle autonômico que não podem ser detectadas em repouso. Estudos em populações aparentemente saudáveis auxiliam na identificação de possíveis fatores de risco de doenças cardiovasculares. Assim, o objetivo foi analisar a resposta autonômica da frequência cardíaca após um teste de esforço máximo em indivíduos aparentemente saudáveis com diferentes valores pressão arterial sistólica. Método: Participaram 18 homens (18 à 30 anos), fisicamente ativos segundo o IPAQ, que não tivessem distúrbios cardiorrespiratórios, neurológicos, musculoesqueléticos, renais, metabólicos, endócrinos e demais comprometimentos que impedissem a realização dos procedimentos, tabagistas, etilistas, uso de medicamentos controlados. Os sujeitos foram divididos em 2 grupos: G1 com PA sistólica entre 110 e 128 mmHg e G2 com PA sistólica < 110 mmHg. O protocolo de avaliação consistiu em 15 minutos de repouso, seguido pelo teste de esforço máximo e 1 hora de recuperação. O teste de esforço foi realizado em esteira ergométrica com inclinação de 1% e velocidade inicial de 8km/h, seguida de incrementos de carga de 1km/h a cada 2 minutos até exaustão voluntária ou aparecimento de alterações clínicas que impedissem a continuidade do teste. Foram analisados os índices geométricos da variabilidade da frequência cardíaca (RRtri, TINN, SD1, SD2, SD1/SD2) antes (10-15 minutos) e após (5-10, 15-20, 25-30, 35-40, 45-50, 55-60 minutos) o teste de esforço. Para comparação dos índices entre grupos e momentos foi realizado teste de ANOVA para medidas repetidas no esquema de 2 fatores. Na análise dos momentos foi usado o teste de ANOVA para medidas repetidas com pós-teste de Dunnett para distribuição paramétrica ou Friedman com pós-teste de Dunn para distribuição não paramétrica e a análise dos diferentes momentos entre os grupos foi feita por meio de ANOVA One-Way ou teste de Kruskal-Wallis. Foi considerado significância estatística p<0,05. Resultados: Os resultados mostraram que durante a recuperação houve um efeito do momento para os índices analisados (p<0,0001). Não houve efeito entre os grupos para os índices analisados (p>0,05), porém houve interação momento e grupos para os índices SD1 e SD1/SD2 (p<0,05) e houve diferença estatisticamente significante (p<0,05) entre os momentos intragrupos de todos os índices analisados. Conclusão: Assim, o G2 mostrou uma recuperação mais rápida do que G1 após o teste de esforço máximo.

Realização e Secretaria Executiva

SOCESP

Organização Científica

SD Eventos

Agência Web

Inteligência Web
SOCESP

XXXVIII Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo

15, 16 e 17 de junho de 2017
Transamerica Expo Center | São Paulo - Brasil