Tema Livre

TRABALHOS APROVADOS > RESUMO

Insuficiência cardíaca descompensada com choque cardiogênico – Existe algum marcador de prognóstico?

Soeiro MCFA, Soeiro AM, Silva PGMB, Biselli B, Cesar MC, Mendes TM, Wetten MP, Tonin MHF, Bossa AS, Oliveira Jr MT
Unidade Clínica de Emergência - InCor - HCFMUSP - São Paulo - SP - Brasil, HOSPITAL TOTALCOR - SÃO PAULO - SP - BRASIL

 

Introdução: A identificação de fatores de risco relacionados à mortalidade em pacientes com insuficiência cardíaca descompensada e baixo débito cardíaco ainda é pouco descrita. No entanto, pode ser determinante na perspectiva de tratamento. Métodos: Estudo retrospectivo, multicêntrico e observacional com o objetivo de avaliar fatores relacionados à mortalidade em insuficiência cardíaca descompensada e baixo débito cardíaco. Foram incluídos 351 pacientes e avaliados: pressões sistólica e diastólica, frequência cardíaca, creatinina, uréia, hemoglobina, leucograma, proteína-C reativa, lactato, sódio, BNP, fração de ejeção do ventrículo esquerdo, diâmetros sistólico e diastólico do ventrículo esquerdo, troponina, bilirrubinas totais, transaminases,  e pressão sistólica arterial pulmonar. Análise estatística: A avaliação de fatores de acordo com a ocorrência ou não de morte foi realizada através de teste-T (significativo p < 0,05).A análise complementar dos fatores foi feita por curva ROC como discriminador de probabilidade de morte. Resultados: A taxa de mortalidade intrahospitalar foi de 33%. Foram encontradas diferenças significativas entre pacientes que morreram ou não, respectivamente, nos seguintes fatores estudados: hemoglobina (11,03 mg/dl vs. 7,76 mg/dl, p < 0,0001), lactato (27,17 mg/dL vs. 19,68 mg/dL, p = 0,047), uréia (121,16 mg/dL vs. 97,12 mg/dL, p < 0,0001), troponina (1,41 ng/dL vs. 3,28 ng/dL, p = 0,026), bilirrubinas (2,71 mg/dL vs. 1,32 mg/dL, p = 0,003) e BNP (2329 mg/dL vs. 1491 mg/dL, p = 0,002).  As áreas sob a curva ROC entre os fatores de risco e morte foram: hemoglobina = 0,587 (0,525 - 0,650); lactato = 0,570 (0,465 – 0,675); uréia = 0,636 (0,567 – 0,705); troponina = 0,594 (0,506 – 0,682); bilirrubinas = 0,663 (0,561 – 0,764) e; BNP = 0,640 (0,551 – 0,729). Os melhores pontos de corte para discriminar o risco de morte foram: hemoglobina = 11,65 mg/dl (sensibilidade de 63% e especificidade de 50%), lactato = 21,5 mg/dl (sensibilidade de 65% e especificidade de 52%), uréia = 93,5 mg/dl (sensibilidade de 62% e especificidade de 57%), troponina = 0,04 ng/dl (sensibilidade de 83% e especificidade de 39%), bilirrubinas = 1,03 mg/dl (sensibilidade de 80% e especificidade de 52%) e BNP = 1.519 (sensibilidade de 62% e especificidade de 58%). Conclusão: A mortalidade em pacientes com insuficiência cardíaca ainda permanece elevada. Hemoglobina, lactato, uréia, troponina, bilirrubinas e BNP foram os fatores relacionados à mortalidade em pacientes com insuficiência cardíaca e baixo débito.

 

 

Realização e Secretaria Executiva

SOCESP

Organização Científica

SD Eventos

Agência Web

Inteligência Web
SOCESP

XXXVIII Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo

15, 16 e 17 de junho de 2017
Transamerica Expo Center | São Paulo - Brasil