Tema Livre

TRABALHOS APROVADOS > RESUMO

Utilização do Score NRI em pacientes com insuficiência cardíaca após programa de reabilitação cardiovascular

Carvalho, JC, Silva, AG, Silva, PF, Moraes, BS, Spinelli, T , Alves, GZ, Pradella, CO, Cachele, MR, Rocco, DF, Rocco, EA
Grupo TotalCare - Amil - São Paulo - São Paulo - Brasil, Universidade Santa Cecília - Santos - São Paulo - Brasil

Introdução: A insuficiência cardíaca (IC) é uma das doenças que mais mata no Mundo. Através do teste de esforço cardiopulmonar (TECP) é possível avaliar o prognóstico da IC. Recentemente foi descrito na literatura o Score NRI, proposto para avaliar o prognóstico desses pacientes durante o TECP. É bem conhecido na literatura que após a realização de um programa de reabilitação cardiovascular, pacientes com IC melhoram diversos parâmetros do teste. Nós testamos a hipótese que pacientes com IC melhoram o Score NRI após o programa de reabilitação cardiovascular. Material e Métodos: Foram estudados pacientes com IC (n=20, 60±2 anos), todos em vigência de medicamentos. A avaliação da fração de ejeção foi realizada através do ecocardiograma. O programa de exercícios durante a reabilitação cardiovascular foi composto por 36 sessões, realizada 3 vezes por semana, com duração de 1 hora cada sessão. A intensidade do exercício foi prescrita através do TECP entre os limiares ventilatórios. O TECP foi realizado antes e após o programa de reabilitação. O Score NRI foi composto por 5 variáveis do TECP, e cada variável recebeu uma pontuação, sendo elas: OUES≤1,4 (3 pontos); PetCO2 no repouso <33 mmHg (3 pontos); VO2pico ≤14 ml/kg/min (2 pontos); Frequência cardíaca de recuperação no 1º minuto ≤6 (5 pontos) e VE/VCO2slope ≥34 (7 pontos), podendo totalizar 20 pontos. Na escala de mortalidade do Score NRI, valores abaixo de 5 pontos apresentam risco de morte muito baixo, entre 5 e 10 pontos risco leve, entre 11 e 15 pontos risco moderado, e mais que 15 pontos risco alto. Resultados: Após o programa de reabilitação cardiovascular, o grupo IC apresentou aumento no VO2pico (pré=20±0,9 vs. pós=22±0,9 ml/kg/min; P<0,001); OUES (pré=1,810±0,1 vs. pós=1,95±0,1 L/min/log; P=0,04); Frequência cardíaca de recuperação no 1º minuto (pré=17±2 vs. pós=19±2 batimentos; P>0,05); PetCo2rep (pré=29,5±0,7 vs. pós=29,9±0,6 mmHg; P>0,05); VE/VCO2slope (pré=38,8±1,2 vs. pós=36,4±1,1; P=0,007); e no Score NRI (pré=10,2±0,8  vs. pós=8,1±1 pontos; P=0,02). Conclusão: Em pacientes com IC, o treinamento físico foi eficiente na melhora do Score NRI, havendo diminuição no risco de mortalidade. Esses resultados reforçam a importância da realização de exercícios físicos para essa população, melhorando o prognóstico desses pacientes.

 

 

 

Realização e Secretaria Executiva

SOCESP

Organização Científica

SD Eventos

Agência Web

Inteligência Web
SOCESP

XXXVIII Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo

15, 16 e 17 de junho de 2017
Transamerica Expo Center | São Paulo - Brasil