Tema Livre

TRABALHOS APROVADOS > RESUMO

DINÂMICA NÃO LINEAR DA VARIABILIDADE DA FREQUÊNCIA CARDÍACA EM ADULTOS COM SOBREPESO

Moreno, B.C., Pianna, B., Souza, C.A. , Garcia, A.L.O., Bezerra, C.G.S., Arca, E.A., Martins, R.A. , Silva, E., Zamunér, A.R.
Universidade do Sagrado Coração - Bauru - SP - Brasil, Universidade Federal de São Carlos - São Carlos - SP - Brasil

Introdução: Alterações no controle autonômico cardíaco, identificadas por meio da variabilidade da frequência cardíaca (VFC), têm sido associadas ao aumento da morbidade e mortalidade cardiovascular. Vários estudos têm demonstrado que indivíduos com maior índice de massa corporal (IMC), principalmente obesos, apresentam menor VFC, a qual tem sido analisada predominantemente por métodos lineares. No entanto, métodos não lineares são capazes de descreverem as flutuações rítmicas complexas e separar a estrutura de comportamento não linear da VFC de forma mais apropriada que os métodos lineares. Diante do exposto e considerando que poucos estudos focaram especificamente indivíduos adultos com sobrepeso, o presente estudo objetivou avaliar a dinâmica linear e não linear da VFC nessa população.

Métodos: 15 indivíduos com IMC entre 25-30 kg/cm2 (7 homens) constituíram o grupo sobrepeso (GSP) e 13 indivíduos eutróficos, IMC entre 18,5-24,9 kg/cm2 (6 homens), compuseram o grupo controle (GC). Todos os voluntários foram submetidos ao registro dos intervalos R-R, batimento a batimento, por meio do monitor cardíaco Polar® modelo V800 (Electro Oi, Finlândia), durante 15 min na postura supina. A VFC foi analisada por meio da análise espectral (método linear) e por métodos não lineares (entropia de Shannon e análise simbólica). Foram aplicados os testes T de Student para amostras independentes ou o teste de Mann Whitney, conforme apropriado. O nível de significância foi estabelecido em 5%. 

Resultados: Não foi observada diferença significativa entre os grupos com relação à idade (GC: 39,6±13,4; GSP: 40,2±11,2; p=0,51). Resultados referentes à VFC estão apresentados na tabela 1. Em relação a análise espectral da VFC, o GSP apresentou menor valor para o índice alta frequência, o qual reflete a modulação vagal, comparado ao GSP (p=0,01). Entretanto, não houve diferença significativa entre os grupos para os demais índices lineares analisados (p>0,05). Em relação as análises não lineares, o GSP apresentou menor entropia de Shannon comparado ao GC (p=0,01). Na análise simbólica, o GSP apresentou maior valor para o padrão 0V (p=0,04) e menor valor para o padrão 2VD (p=0,03) comparado ao GC.

Conclusões: Os resultados demonstram que indivíduos com sobrepeso apresentam maior modulação simpática, menor modulação parassimpática e menor complexidade na dinâmica da frequência cardíaca em relação à indivíduos eutróficos. Além disso, a análise não linear se mostrou uma importante ferramenta a ser utilizada como análise complementar aos índices tradicionais da VFC.

Realização e Secretaria Executiva

SOCESP

Organização Científica

SD Eventos

Agência Web

Inteligência Web
SOCESP

XXXVIII Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo

15, 16 e 17 de junho de 2017
Transamerica Expo Center | São Paulo - Brasil