Tema Livre

TRABALHOS APROVADOS > RESUMO

IMPACTO DA DOENÇA CORONARIANA NA QUALIDADE DE VIDA DE PACIENTES RENAIS CRÔNICOS EM HEMODIÁLISE

Suellen Cristina de Jesus Silva, Elaine Fonseca Amaral da Silva, Camila Jacometti Pinheiro Nagarol, Luiz Aparecido Bortolotto, José Jayme Galvão de Lima
INSTITUTO DO CORAÇÃO DO HCFMUSP - - SP - BRASIL

Introdução: A doença renal crônica (DRC) é um problema de saúde pública mundial e preditora para progressão da doença arterial coronariana (DAC). A DRC causa limitações e alterações na vida cotidiana dos pacientes e familiares e consequentemente na qualidade de vida. Neste cenário, o Assistente Social realiza a mediação junto a equipe de saúde, paciente e familiares, propondo alternativas de enfrentamento às situações que comprometam o processo de saúde-doença. Objetivos: (1) Avaliar o impacto da presença de DAC na qualidade de vida de pacientes renais crônicos em hemodiálise e (2) identificar diferenças no perfil sociodemográfico de pacientes renais crônicos em hemodiálise, de acordo com a presença de DAC. Métodos: Estudo transversal e descritivo, realizado com 51 pacientes renais crônicos em hemodiálise, divididos em dois grupos: 30 com DAC e 21 sem DAC, em hospital universitário de cardiologia de São Paulo, por meio de questionário de qualidade de vida específico para pacientes em tratamento dialítico KDQOL-SFTM 1.3, questionário socioeconômico e dados clínicos descritos em prontuário eletrônico. Análise estatística: Utilizamos o software Statistical Package for Social Sciences (SPSS), versão 21.0. A normalidade das variáveis foi verificada através do teste Kolmogorov-Smirnov. O teste t de Student independente foi utilizado para as variáveis contínuas e o teste Qui-quadrado para as variáveis categóricas entre os grupos. Foi determinado p<0,05 para significância estatítstica. Resultados: Na totalidade dos pacientes, houve predomínio do sexo masculino, da cor/raça autodeclarada parda e preta, ensino fundamental incompleto e de pacientes em benefício previdenciário/assistencial. Entre as dimensões do KDQOL-SFTM1.3, os pacientes com DAC apresentaram melhores índices de qualidade de vida, sobretudo na lista de sintomas e problemas, função cognitiva, qualidade de interação social, função sexual, apoio social, estímulos da equipe de diálise, menos limitação causada por problemas da saúde física e maior bem-estar emocional. Conclusão: A qualidade de vida de pacientes com DRC em hemodiálise, que apresentam diagnóstico de DAC, foi relativamente melhor que a dos pacientes sem DAC. Portanto, a presença da doença coronariana não determinou pior qualidade de vida nos pacientes estudados. Não houve diferenças sociodemográficas relevantes entre os grupos.

 

Descritores: Insuficiência renal crônica. Doença da artéria coronariana. Diálise renal. Qualidade de vida. Serviço Social.

Realização e Secretaria Executiva

SOCESP

Organização Científica

SD Eventos

Agência Web

Inteligência Web
SOCESP

XXXVIII Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo

15, 16 e 17 de junho de 2017
Transamerica Expo Center | São Paulo - Brasil